24 de set de 2008

MACRO BONFIM 2008 - RESUMO

Aconteceu nos dias 20 e 21/09/2008 a Macrorregional Norte/FEEB, na cidade de Senhor do Bonfim, que encerrou as Macros da Bahia neste ano, com a participação dos CR´s 15 (Jacobina), 17 (Juazeiro) e 23 (Senhor do Bonfim), da FEEB, representada pela sua diretora-presidente Creuza Lage e mais 05 diretores, além das cidades de Itiúba, Jaguarari, Campo Formoso e Pilar. O evento foi organizado e conduzido pelo CR-23.
Os encontros têm como objetivo reunir os trabalhadores dos Conselhos Distritais e Regionais em atividades de planejamento, formação e troca de experiências voltadas para a união e organização do movimento espírita na Bahia. Este ano, a meta é implantar os projetos que consolidem Comissões Federativas em todos os Conselhos e sensibilizem as lideranças locais à implantação do Plano de Trabalho do Movimento Espírita e da Capacitação Administrativa para Dirigentes Espírita (CF/FEB 2009-2012).

Na Macro de Bonfim ocorreram reuniões setoriais (GESTÃO FEDERATIVA, COMUNICAÇÃO SOCIAL, DIVULGAÇÃO DOUTRINÁRIA, INFÂNCIA E JUVENTUDE, ESDE E ASSISTÊNCIA E PROMOÇÃO SOCIAL), mediadas pelos diretores da FEEB respectivos, em salas diferentes, com a participação das cidades presentes, com exceção de Jacobina, que por ter apenas o coordenador-geral do CR-15 presente ao evento, não obstante o convite estendido a vários integrantes do movimento espírita local, participou apenas da reunião setorial Gestão Federativa, mediada por Creuza Lage.

As reuniões setoriais seguiram durante toda a tarde de sábado e a manhã do domingo (21). Fazendo parte da programação do evento, ocorreu uma palestra no Centro Espírita Discípulos de Jesus, no sábado a noite, com tema: A Necessidade de Amor no Movimento Espírita, proferida por Creuza.

No tema Gestão Federativa, houve excelente troca de informações e experiências no que tange às realidades vividas em cada cidade, em cada Casa espírita ali representadas. Muitos problemas são comuns a todos, entre eles, o pouco compromisso humano nas casas em relação à Causa e às atividades espíritas. Ainda sobre a temática podemos acrescentar que "A Gestão Federativa tem como objeto de trabalho o Centro Espírita no atendimento às suas finalidades. A Gestão Federativa à luz do Espiritismo deve ter como princípios fundantes:
- A autonomia das instituições espíritas; Relação clara entre organização e liberdade e, Ações progressivas e continuadas.

Entre as múltiplas informações compartilhadas durante o evento, a FEEB definiu juntamente com os CR´s seu cronograma para execução do Programa CADE, voltado para à Administração das Casas Espíritas. O CR-15, em parceria com a UEJ, estará disponibilizando juntamente com a FEEB esse curso nos dias 25 e 26 de abril de 2009. Será o 2º de três módulos do CADE, sendo o primeiro em Bonfim (28/29-03) e o 3º em Juazeiro (30/31-05). A FEEB também realizará no dia 29/11/08 o Encontro Federativo, na cidade de Salvador, dirigido aos coordenadores dos CR´s na Bahia. Foi informado também que o Encontro Estadual do ESDE (Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita), ocorerrá em Salvador, no dia 08/03/2009, quando espera-se a participação dos trabalhadores das Casas espíritas da Bahia envolvidos nos estudos, palestras e cursos (ESDE).

A Macrorregional Chapada, terá Jacobina como sede, no segundo semestre de 2009.

Reiterou também a importância da participação dos espíritas trabalhadores e simpatizantes no XIII Congresso Espírita Baiano, de 07 a 09/11/08, em Salvador.

Repassou recomendação da FEB que em 2009, as Casas espíritas do Brasil realizem seminários, palestras, etc., com temáticas envolvendo os livros de Chico Xavier, preferencialmente os de André Luiz e Emmanuel, preparando assim as comemorações dos 100 anos do nascimento desse importante espírita e médium, Chico Xavier, que será comemorado durante o Congresso Espírita Nacional em 2010, possivelmente no mês de abril daquele ano.

A Macro 2008 Norte, de Bonfim, foi encerrada quando da realização de uma mesa redonda e almoço de confraternização no local do evento, com várias mensagens, entre elas, sociabilizo esta, concluindo este nosso singelo resumo de um evento cheio de luz:

"O importante na Vida não é ser ou parecer, o importante é fazer construir e desenvolver com coragem, energia, confiança e otimismo".

Alguns momentos da Macro

















22 de set de 2008

55ª SEMANA ESPÍRITA DE VITÓRIA DA CONQUISTA




A 55ª Semana Espírita de Vitória da Conquista, que aconteceu de 07 a 14 de setembro, no Planet Hall, contou com um público médio diário de 1.700 pessoas e teve no seu encerramento mais de 2.000 pessoas presentes para assistirem à conferência final do médium Divaldo Pereira Franco. Com atividades diárias em três turnos (com exceção da segunda-feira pela manhã e quinta-feira à tarde, estrategicamente deixadas para descanso dos participantes), o evento surpreendeu pela presença maciça do público, mesmo em períodos em que, tradicionalmente, o fluxo era menor. O novo espaço, mais amplo, contribuiu para o sucesso do evento, pois possibilitou às pessoas chegarem às atividades sem pressa ou correria para conseguirem acomodar-se com mais conforto. O tema central REENCARNAÇÃO – UMA QUESTÃO DE JUSTIÇA, desdobrado em diversos sub-temas, foi tratado com esmero pelos expositores responsáveis e atraiu a atenção da comunidade não espírita. Participaram do evento 66 cidades de 15 Estados da Federação e um país, Portugal. Minas Gerais foi o Estado representado por mais cidades, 11, e dentre estas estava também a que tinha a maior caravana, Montes Claros, com 56 pessoas. Pela internet tivemos 24130 visitas, de 551 cidades conectadas de 42 países, dos 5 continentes. Os expositores presentes ao evento foram Marcel Mariano, André Luiz Peixinho, Merlânio Maia, Alkíndar de Oliveira, Cláudio Amorim, Wesley Caldeira, Adenáuer Ferraz, Raul Teixeira e Divaldo Franco, que abrilhantaram a 55ª Semana Espírita com suas conferências e seminários. No domingo 14, a 55ª Semana Espírita encerrou-se com a conferência de Divaldo sobre o tema Reencarnação e Imortalidade, ocasião em que o Espírito Bezerra de Menezes fez-se presente através da psicofonia do médium e tribuno baiano, deixando uma belíssima e reflexiva mensagem, que emocionou a todos.


Ao final do evento, foi distribuído um calendário para os presentes com o tema e data da 56ª Semana Espírita de Vitória da Conquista: A FAMÍLIA COMO INSTRUMENTO DE EVOLUÇÃO, que acontecerá de 06 a 13 de Setembro de 2009.

15 de set de 2008

Recepção na Casa Espírita

Por Francisco Rebouças

"A casa espírita deve ser uma instituição que represente os braços do Mestre abertos e estendidos a envolver todos os irmãos que ELE nos encaminhar, pois, que o Centro Espírita é a casa em que as almas encarnadas e desencarnadas podem encontrar Jesus, através dos seus trabalhadores..."

Entendemos, que a maneira como somos recebidos em qualquer lugar ou instituição, seja por amigos ou desconhecidos, muita influência exerce em nossa maneira de nos portarmos em tais ambientes, isto é, se somos recebidos de maneira fria, desinteressada, sem qualquer importância, nossa atuação estará muito comprometida, pois, nos sentiremos deslocados, incomodados etc.
Se, ao contrário, formos recebidos com carinho, com votos de boas-vindas, com camaradagem, com alegria pelos recepcionistas desses lugares ou instituições, nosso ânimo será outro, e nossa participação será bem diferente, pois, nos sentiremos queridos, estimados etc.
Da mesma forma que nós, todas as outras pessoas também desejam ser bem recebidas, e se estamos na Casa Espírita que freqüentamos, a recepção que devemos dar a quem nos procura deve ser a mais calorosa, atenciosa, e respeitosa possível, visto que estaremos representando, a infinidade de trabalhadores do Mestre de Nazaré que nos ensinou a "amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos".Por essa razão, a casa espírita deve ser uma instituição que represente os braços do Mestre abertos e estendidos a envolver todos os irmãos que ELE nos encaminhar, pois, que o Centro Espírita é a casa em que as almas encarnadas e desencarnadas podem encontrar Jesus, através dos seus trabalhadores, em quem o Mestre muito confia, assim sendo, algumas atitudes devem ser tomadas para que os irmãos que nos procurem possam realmente encontrar apoio e orientação segura para suas dificuldades, sejam quais forem.
Para tanto, a casa espírita deve preparar seus tarefeiros para esse mister, escolhendo através de cursos a serem ministrados com essa finalidade, onde os mais experientes, os mais dedicados possam ser encaminhados para o setor de recepção da casa espírita, e estará preparado para dar todas as informações sobre as atividades da casa, as primeiras orientações sobre a doutrina etc., nesses encontros, devem ser solicitado a todos os participantes que dêem sugestões para uma recepção digna a quem buscar o Templo Espírita a que pertençamos, e posteriormente selecionadas as melhores idéias para serem desenvolvidas e postas em prática com o comprometimento de todo grupo.
Essas reuniões, em nossa casa espírita, acontecem normalmente nos grupos de estudos, onde em determinadas oportunidades fazemos um balanço daquilo que achamos que precisa ser implantado ou modificado e pedimos a opinião de todos os participantes que opinam e por participarem dos métodos de definição de como melhorar a tarefa estudada, se acham bem integrados com as medidas definidas e se empenham por cumpri-las.
Não mais se pode admitir, uma casa espírita, onde alguém dá a ordem e todos têm que executar, seja ou não favorável e sem ser ouvido, hoje o diálogo, na busca de soluções para os problemas que nos surgem é de vital importância para a manutenção de uma Instituição sadia, sem correntes contrárias a se combaterem, afinal somos espíritas e não podemos nos esquecer dessa responsabilidade em hipótese alguma.
De nossas experiências, podemos apenas sugerir algumas idéias para melhorar essa recepção em nossas casas espíritas, respeitando cada grupo espírita que é absolutamente independente para agir de conformidade com sua filosofia, e não temos a pretensão de passarmos por professores de conduta ou autoridades em qualquer tipo de assunto, apenas queremos se possível contribuir para um melhor relacionamento entre a instituição, seus tarefeiros e os irmãos que chegarem na busca de orientação e auxílio.
Sugestões para uma boa Recepção:
1) Criação de uma mentalidade de recepcionar bem quem quer que procure a Instituição, através de avisos, folhetos, conversas nos grupos de estudos e trabalhos da casa espírita;2) Pedir aos trabalhadores da casa espírita sugestões para essa finalidade;3) Constituir um grupo de trabalhos visando a implantação das melhores sugestões, visto que cada instituição conhece melhor seu público;4) Preparar tarefeiros para essa tarefa específica, envolvendo os de maior conhecimento sobre a casa e sobre a doutrina, os mais calmos, pacientes, que melhor saibam se expressar etc.;5) Buscar o envolvimento de todos os dirigentes, e trabalhadores da casa, pois, sem a participação de todos, o trabalho não terá a mesma eficiência, sabemos que 100% (cem por cento) não é possível, mas, o maior número viável de tarefeiros deve ser a meta.Pensamos que para uma boa recepção é preciso um bom conhecimento dos postulados da doutrina espírita, e não devemos em hipótese alguma desistir por mais e maiores dificuldades que possam surgir, pois, os espíritos Superiores estarão nos dando todo apoio necessário para que triunfemos ao final da peleja.
Desde a entrada da casa espírita, já deve ter o visitante a saudação de boas-vindas, com um belo sorriso no rosto do tarefeiro, a entrega de uma mensagem contendo uma página edificante e ainda, se possível, com as atividades da casa no verso, o que facilitará em muito a tarefa de explicação do tarefeiro. Para uma boa recepção não é necessário quase nada, uma simples mesa na entrada da casa, que não atrapalhe o acesso das pessoas, ou mesmo o plantão permitido por uma escala de tarefeiros para cada dia de atividade da casa, para recepcionar quem chegue e distribuir as mensagens em pé mesmo. Os casos que precisem de uma palavra mais especializada, o plantonista encaminhará a pessoa a alguém também bem preparado para uma adequada orientação etc.
Chamamos a atenção para o fato de que é necessário que a pessoa responsável pela recepção tenha total conhecimento das atividades da casa e que se mantenha simpática em todos os momentos, pois, lembramos que a recepção é o primeiro contato do visitante com a nossa casa espírita ou mesmo com a doutrina espírita, e quase sempre é a primeira impressão que cativará ou afastará o indivíduo e muitos outros que por seu intermédio poderão chegar.
É, conveniente lembrar também, que se deve evitar lidar com dinheiro no local da recepção, pois, muitas vezes é na própria recepção que trabalhadores e freqüentadores da casa fazem doações ou pagamentos de alguma promoção beneficente promovida pelo grupo, o que deve ser em nossa modesta opinião feita na tesouraria da casa espírita em local adequado para tal atividade, pois, para as pessoas que chegam pela primeira vez ao centro espírita, pode causar estranheza e interpretações equivocadas sobre o motivo do recebimento do dinheiro.Que Jesus nos abençoes e inspire, para que possamos ser dignos representantes seus, diante do ser que nos chegar à sua procura!

12 de set de 2008

XI ENCOMLUZ - PROGRAME-SE




A décima primeira versão do Encomluz acontecerá nos dias 28 e 29/11 na Cidade da Luz (Salvador-BA). Um convite à reflexão sobre o crescimento pessoal e a espiritualidade, sob o tema central MELHORE SUA VIDA, reunindo conhecidos palestrantes como Adenáuer Novais, Djalma Argolo, José Medrado, Kau Mascarenhas e Patrícia Bonito. O evento terá uma nova roupagem, com um período menor, porém sem perder a excelência do conteúdo. Na abertura (somente para participantes), dia 28/11, terá como momento artístico, o Show Celebrando a Vida, com os cantores líricos de São Paulo, Allan Vilches e Paula Zamp. Investimento: R$ 30,00 Informações e inscrições: 71 3363-5538 ou cidadedaluz@cidadedaluz.com.br

4 de set de 2008

EXEMPLO DE FORÇA E AMOR NA CARIDADE ESPÍRITA

Verdadeiramente uma imagem vale por mil palavras. Mesmo assim, reproduzimos o texto abaixo (com fonte), para conhecimento e aprendizado de todos, principalmente para mim, é claro. Boa leitura.

"O blog Nossos Poetas conta parte da história de vida dos pacientes das Casas André Luiz. Além de escreverem suas auto-biografias, eles escrevem poesias que retratam a visão que têm do mundo, suas opiniões e conselhos para se viver melhor.Esses textos são produzidos de várias maneiras: alguns pacientes são alfabetizados e escrevem suas poesias, outros usam a fala para ditarem sua mensagem e outros, ainda, usam o Sistema Bliss de Comunicação Alternativa. Esse blog é motivo de muita satisfação para nossos poetas pois apesar de viverem em uma Instituição têm a oportunidade de serem ouvidos pelo mundo."
Fiquei emocionado! Vejam as lindas poesias escritas por esses exemplos de espíritos lutadores e vencedores. PAZ!

1 de set de 2008

A SERPENTE E O SÁBIO

Contam as tradições populares da Índia que existia uma serpente venenosa em certo campo. Ninguém se aventurava a passar por lá, receando-lhe o assalto. Mas um santo homem, a serviço de Deus, buscou a região, mais confiado no Senhor que em si mesmo. A serpente o atacou, desrespeitosa. Ele dominou-a, porém, com o olhar sereno, e falou:

- Minha irmã, é da lei que não façamos mal a ninguém.

A víbora recolheu-se, envergonhada. Continuou o sábio o seu caminho e a serpente modificou-se completamente. Procurou os lugares habitados pelo homem, como desejosa de reparar os antigos crimes. Mostrou-se integralmente pacífica, mas, desde então, começaram a abusar dela. Quando lhe identificaram a submissão absoluta, homens, mulheres e crianças davam-lhe pedradas. A infeliz recolheu-se à toca, desalentada. Vivia aflita, medrosa, desanimada. Eis, porém, que o santo voltou pelo mesmo caminho e deliberou visitá-la. Espantou-se, observando tamanha ruína. A serpente contou-lhe, então, a história amargurada. Desejava ser boa, afável e carinhosa, mas as criaturas peseguiam-na. O sábio pensou, pensou e respondeu após ouví-la:

- Mas, minha irmã, ouve um engano de tua parte. Aconselhei-te a não morderes ninguém, a não praticares o assassínio e a perseguição, mas não te disse que evitasses de assustar os maus. Não ataques as criaturas de Deus, nossas irmãs no mesmo caminho da vida, mas defende a tua cooperação na obra do Senhor. Não mordas, nem firas, mas é preciso manter o perverso à distância, mostrando-lhe os teus dentes e emitindo os teus silvos.

Xavier, Francisco Cândido.
Da obra: Os Mensageiros.Ditado pelo Espírito André Luiz.
FEB, 1944.